Cuidar, inovar e avançar até agora foi apenas um chaveco do prefeito para ganhar o eleitor santista de boa vontade. Este mesmo eleitor que, sem ter razão para tanto, deu mais de 24 mil votos à reeleição de um vereador cuja ação política não consegue sair das telas da internet para o espaço da realidade santista.

Indubitavelmente é impossível com o quadro de secretários dos dois mandatos de Paulo Alexandre Barbosa ter feito mais do quase nada que até agora se fez para enfrentar as demandas de uma cidade mundial, como é o caso de Santos, mas que vive um momento descolada do seu tempo, sem cuidado, atrasada e estagnada. É preciso mudar.

Está na hora das forças vivas da cidade se mobilizarem para colocar a administração de Santos nos trilhos. Associações, clubes de servir e universidades se juntarem para organizar um debate público sobre que tipo de futuro queremos para nossa cidade. Em vão esperar pela inoperante Câmara Municipal.

Nosso tráfego urbano aumenta descontroladamente. A dimensão humana é tratada no planejamento do espaço público de qualquer jeito e maltratada. A conglomeração pela desenfreada construção de populosos edifícios aumentou o isolamento social, em uma cidade plana, de curtas distâncias, e lamentavelmente de baixa mobilidade.

ÓminhaSantos está dando o seu primeiro passo nessa longa e necessária caminhada, com a sociedade santista, para podermos reconquistar nosso município humanizado, com espaços urbanos convenientes, onde a população tenha acesso aos empregos necessários e aos bens e serviços essenciais. Acreditarmos que nossa vontade é a força das transformações sociais.

*Caso não consiga visualizar os comentários, verifique se não existe nenhum impedimento de acesso aos recursos do Facebook.