Única rota ligando a Grande São Paulo à Baixada Santista, o Sistema Anchieta-Imigrantes tornou-se um conglomerado de rodovias da morte.

O sangue deixado nas pistas é derramado mais pela violência do que pela imprudência no trânsito. Até quando?

O ninho tucano, à frente do governo do estado, envolto em investigações de corrupção, mais do que nunca tem a pauta segurança em segundo plano.

O efetivo de policiamento ostensivo é insuficiente para dar conta da legião de criminosos cada vez mais cruel e armada para parar qualquer veículo na estrada.

A morte de um homem com um tiro na cabeça na Rodovia dos Imigrantes, na madrugada de sábado, é o sintoma mais agudo de um problema sem solução a curto prazo diante do quadro deficitário do policiamento militar rodoviário e ostensivo.

As diárias extraordinárias, as chamadas Dejem, que permitem aos policiais militares trabalharem em suas folgas, é só uma medida paliativa e sem eficácia no combate ao crime e à violência.   

Até quando?

*Caso não consiga visualizar os comentários, verifique se não existe nenhum impedimento de acesso aos recursos do Facebook.